Leigos Missionários Combonianos

Bem-vindos e bem-vindas ao blog dos Leigos Missionários Combonianos!

Criamos com muita ilusão este espaço para podermos partilhar todos juntos as nossas experiências missionárias em África, na América e na Europa.

Neste blog, encontramos o local aonde podemos partilhar o nosso dia-a-dia de LMC junto dos mais diversos povos do mundo. Aqui poderemos partilhar as ilusões, as dificuldades e os desafios que as pessoas mais simples e humildes enfrentam no seu quotidiano.

Concebemos este espaço para podermos reflectir, rir, rezar, e sonhar juntos, e, assim, criarmos um mundo diferente e melhor.

Também podeis consultar a nossa página web, aonde encontrareis mais informação sobre nós mesmos; e ainda visitar a nossa plataforma de formação, aonde se encontram alguns temas que nos ajudarão a preparar o melhor possível para a missão, e para a qual todos estais convidados a colaborar.

Notícia de Piquiá (Brasil)

Bom dia amig@s, espero que se encontrem tod@s bem. Nós estamos bem e muito felizes, pois ontem foi um dia muito especial. O Piquiá de Baixo fez mais uma conquista,…

¿Tem vocação missionária?

Se o preocupam as injustiças que o rodeiam…

Se não consegue permanecer indiferente ante as desigualdades…

Se como cristão se sente chamado a sair e a colocar o seu grãozinho de areia…

Há que dar um passo em frente…

Onde estamos?

Como LMC estamos em África, América e Europa. Estamos presentes num total de 20 países. Se quere conhecer-nos melhor pode entrar na web e ver onde estamos e o que fazemos em cada país.

LMC en el Mundo
Comboni

São Daniel Comboni, missionário de África.

Comboni foi um missionário apaixonado por África e pelas suas gentes. Quando todos procuravam tirar proveito e explorar o continente, ele lutou contra a escravidão e pelo povo africano. Salvar África com África foi o seu lema e conseguir que todos se unissem por este ideal a paixão da sua vida.

Se colocou a possibilidade de ser missionário ou missionária recomendamos que ponha mãos à obra e inicie um processo de discernimento.

O melhor é procurar ajuda de um sacerdote, um religioso ou religiosa, ou algum leigo ou leiga. Recorra ao apoio de um grupo missionário e comece a aprofundar esta vocação. Estamos presentes em 20 países diferentes. Se está nalgum destes países entre em contacto connosco para iniciar este caminho. Se não for assim, procure outro grupo missionário para o ajudar. A missão é grande e a sua ajuda é necessária.

Como leigos missionários realizamos muitas actividades. Em função das necessidades das populações onde nos encontramos e das competências profissionais de cada um, colocamo-nos ao serviço dos outros.

Estamos implicados na educação, acompanhando redes de escolas comunitárias na floresta, escolas de ensino básico, secundárias ou técnicas, e mesmo na universidade.

Na área da saúde, também desenvolvemos muitas actividades, desde medicina preventiva nas comunidades, com médicos e enfermeiros de diferentes especialidades, com centros de cuidados comunitários até medicinas alternativas que respeitam as tradições locais.

Estamos envolvidos em ações sociais e de justiça, paz e integridade da criação, acompanhando as comunidades afectadas por companhias mineiras, com centros de defesa da vida e dos direitos humanos, preparando as comunidades para defenderem os seus direitos, em projectos de desenvolvimento agrícola, etc.

Como missionários, também acompanhamos comunidades cristãs na periferia das cidades, nas zonas rurais, em aldeias junto aos rios ou no interior da floresta. Acompanhando diferentes pastorais, com catequeses, pastoral da juventude, dos doentes e, finalmente, ajudando as comunidades a capacitarem-se, fortalecendo competências para terem autonomia para seguir em frente pelos seus próprios meios.

Como dizia Comboni “Salvar África com África”.

Ser missionário é uma vocação. Entender que o Senhor chama para este serviço é o primeiro passo.

Mas, como dizia Comboni, devemos ser “santos e capazes“. As necessidades são muitas na missão, por isso devemos preparar-nos adequadamente para dar o melhor de nós, respeitando as culturas dos povos aos quais somos enviados e partilhando a nossa vida com eles.

Oferecemos um período de discernimento (para compreender se esta é a sua vocação). Depois, temos várias etapas de formação para dar a conhecer aspectos chave da vida missionária, com alguma teologia, missiologia, testemunhos missionários, aspectos prácticos, etc. É uma formação para aumentar a nossa maturidade humana e cristã, e para conhecermos melhor o carisma comboniano.

Como última preparação para o seu destino missionário, terá a oportunidade de fazer uma experiencia comunitária. Um período fundamental antes da saída para o país de destino.

A formação não termina aqui. É algo essencial na nossa vida missionária… a formação permanente, ao chegar à missão, no regresso ao país de origem, etc.

Se quiser informações mais detalhadas,  contacte o nosso grupo.

Estamos presentes em 20 países. Queremos ser missionários em todos os momentos e em todos os lugares.

Quando saímos dos nossos países de origem integramo-nos em comunidades internacionais com outros companheiros e companheiras, solteiros ou casados (alguns com filhos) com quem partilhamos o nosso serviço missionário. Estamos presentes em África (Etiópia, Uganda, República Centro-Africana, Moçambique, Malawi) e na América (Perú, Brasil…).

Em função das competências das pessoas disponíveis e das necessidades concretas das missões estabelecemos um diálogo prévio com os países para onde serão enviados os nossos missionários e missionárias.

As necessidades são muitas e todas as pessoas de boa vontade devem unir-se para fazer um mundo melhor.

As possibilidades são muitas. Rezar pelos nossos missionários e pelos povos que os acolhem, promover a vocação missionária entre amigos e familiares, ajudar financeiramente as nossas comunidades e os diferentes projectos que realizam… e tendo uma vida simples, preocupando-se com os outros, controlando o consumo que está devastando o planeta… desde o local onde  estamos devemos tentar construir um mundo melhor, preocuparmo-nos com os outros e facilitar, dentro das nossas possibilidades as suas vidas, especialmente dos mais necessitados e excluídos.