Tag Archive for Togo-Gana-Benin

Reunião de formandos LMC em Ghana

LMCA 14 de Novembro reunimo-nos em Abor para o nosso encontro formativo.

Iniciámos, rezando as laudes e meditámos sobre uma carta de S. Daniel Comboni a seus pais (Escritos n.55- 62) e posteriormente tivemos uma apresentação sobre a história da família LMC.

Esta apresentação baseou-se na apresentação de Alberto de la Portilla apresentada em Kinshasa no nosso segundo encontro do Continente Africano, na qual estavam apresentadas as diferentes reuniões internacionais dos LMC e suas conclusões, dando enfase à de Ellwangen em 2006. Também estava incluído um ponto relativo à disponibilidade dos MCCJ em acompanhar o leigos e por último a apresentação dos diferentes grupos LMC no mundo e a sua missão.

Despois disto, falámos um pouco sobre as vendas da revista New People e o coordenador insistiu na necessidade de cada membro se comprometer em dar uma resposta à sua vocação LMC, referindo também, o nosso compromisso nos diferentes lugares onde estamos.

A reunião terminou com uma oração e uma refeição. Depois da reunião, foi-nos informada a nomeação de um novo acompanhante para o grupo, que será o P. Filipe Zema, MCCJ. Damos Graças a Deus ao Provincial e seu conselho pelo seu apoio e disponibilidade para nos ajudar a crescer na nossa vocação.

Justin Nougnui, coordenador.

[Gana] Notícias recentes…

1 – Jubileu da chegada dos MCCJ à província

Cumprem-se 50 anos desde a chegada dos MCCJ à província, e o momento alto das celebrações foi a Eucaristia do passado dia 19 de Janeiro na catedral de Lomé. Os LMC estiveram representados por dois dos nossos membros: o Sr. Avorgbedor Promise e a Sra. Kumazah Fidelia. O superior geral dos MCCJ, o Rev. P. Sanchez, que estava de visita à província, também esteve presente.

2 – A nossa presença na Assembleia Geral dos MCCJ

Os padres e irmãos da família comboniana da província reuniram-se em Lomé, na casa das irmãs Canossianas, de 20 a 24 de Janeiro, para a sua assembleia geral anual. Os LMC foram convidados a participar, na quinta-feira, e o Justin Nougnui (coordenador do grupo) apresentou o nosso relatório anual de actividades de 2013. Expôs brevemente o que fizemos em 2013 e o que planificamos para o novo ano de 2014. Esteve acompanhado pelo Sr. Seade Wisdom, administrador do centro IMFH (Na Casa do Meu Pai), que dirigiu algumas palavras sobre a instituição, e pelo Sr. Azumah Vivien, um dos jovens que acompanhamos e que foi apresentado por esta ocasião. Durante uma das pausas, tiramos a foto de família. Esta foi a segunda vez que apresentamos o nosso programa e estou muito contente com esta oportunidade de nos darmos a conhecer. Queira Deus ajudar-nos a que sejamos “o meio mais eficaz para conduzir um povo à verdadeira fé”.

3 – O nosso 10º encontro, a 25 de Janeiro

a) Tal como noutras ocasiões, começamos com o encontro dos jovens do IMFH. O objectivo desta vez, foi dar-lhes a conhecer os diferentes ramos e matérias que podem escolher nos seus estudos universitários, sobre as competências que podem adquirir agora e que os podem ajudar no futuro. O tema foi exposto pelo Sr. Abotsi James (vice-secretário da IMFH). O próximo tema será sobre alguns aspectos da vida cristã.

b) Durante o nosso encontro LMC, planificamos as várias actividades para este ano. Fazendo parte dessa programação está o encontro de Fevereiro com alguns professores, com o fim de promover a vocação LMC. Em Março teremos um retiro para nos alimentarmos espiritualmente durante o tempo da Quaresma.

c) Já terminamos a maior parte do trabalho sobre o nosso directório. No dia 25 de Janeiro de 2014, na festa da conversão do apóstolo S. Paulo, promulgamos oficialmente as regras, segundo as quais, os LMC se querem reger. O nosso acompanhante MCCJ, o padre Joseph Rabbiosi, também esteve presente. Depois de um momento de oração, abençoou-nos e assinou a acta de promulgação. Depois assinou o coordenador. Recordo que desde o passado dia 8 de Janeiro, estamos registados como pessoa jurídica, com os direitos e deveres segundo a lei do Gana.

Estou muito feliz pela forma com que o Senhor nos guia. Que o Seu amor desça sobre nós, assim como a nossa esperança está com Ele.

por Justin Nougnui, coordenador LMC Gana.

[Gana] Na casa do meu Pai – IMFH

Vamos falar-vos um pouco da instituição “A casa do meu Pai” In my Father’s House (IMFH). É uma organização cuja visão, valores, metas e missão, tem a sua origem, raízes e inspiração na intuição do carisma e espiritualidade de S. Daniel Comboni (Limone, Itália, 1831-Kartum, Sudão, 1881), fundador dos missionários combonianos. O padre Joseph Rabbiosi, sacerdote comboniano, é o fundador da IMFH. O padre Joe, que é como chamamos ao padre Joseph, estava na paróquia de Abor (Gana) e viu a necessidade de ajudar os mais pobres e abandonados: órfãos, doentes, rejeitados… A data oficial da inauguração da casa foi em Setembro de 2000 e esta instituição tem por objectivo ajudar os mais pobres. A IMFH intervém, ou mesmo assume, os cuidados de uma criança quer seja nas suas próprias estruturas ou à distância e visa harmonizar a sua integração. Ela tenta acompanhar a criança e assegurar a continuidade do apoio e crescimento até que ela atinja a sua maturidade e os objectivos desejados. Às crianças é oferecida uma formação integral. São ajudadas a integrar e harmonizar todas as suas actividades e aprendem, tanto na escola, num ambiente académico formal, tanto fora da escola, vivendo e interagindo com a comunidade, com uma vida pessoal e social equilibrada.

No projecto procura-se uma maturidade da criança, que consiste em:

  1. A sua própria meta pessoal: maturidade e confiança em si própria, incluindo a estabilidade económica.
  2. O serviço para a comunidade: terá que desempenhar um papel significativo dentro da comunidade e da sociedade. Devem ser testemunhas dos valores do Evangelho: justiça e amor. Todas as crianças vivem um processo contínuo de conversão pessoal e mudança, a fim de tornarem e serem testemunhas mais autênticas da verdade, da justiça e do amor. Assim, a instituição cuida das crianças a partir do momento em que são aceites pela casa. Vão à escola e recebem cuidados médicos (nalguns casos mais graves têm mesmo que receber intervenção cirúrgica). Recebem também formação moral e cristã para poderem crescer integralmente. Aqueles que continuam os estudos para além do ensino secundário, são enviados para escolas profissionais para que se tornem bons na sua profissão econsigam autonomia económica. O centro não é um “programa de caridade”. A IMFH não se pode substituir aos pais das crianças, apenas ajuda. Por isso, os pais, a família, a comunidade cristã, o povo, as autoridades, as instituições do país… precisam assumir, cada um, as suas responsabilidades e desempenhar as suas funções, logo que estejam em posição de o fazer. O financiamento da IMFH vem sobretudo do exterior, por isso é tão necessário alcançar uma autonomia financeira, de modo a que enquanto instituição comboniana, se alcance o objectivo: “Salvar a África com os africanos”, onde os africanos sejam capazes de cuidar dos seus e deles próprios.

Isto é o que define a IMFH e aquilo que ela espera de todos que beneficiam do projecto. As nossas mãos estão abertas a todos para que nos apoiem. Gostaria de acrescentar que existe um vasto campo de trabalho que abarca muitos outros projectos, tais como:

  1. Bolsas de estudo: a IMFH apoia pessoas necessitadas para continuar os seus estudos e formação.
  2. Programa de caridade: implica algumas doações para algumas pessoas, com regularidade.
  3. Escola especializada para surdos.
  4. Programa sanitário para combater determinadas doenças

São necessários LMC com conhecimentos específicos em várias áreas, especialmente na saúde, pediatria, educação, assistência social, tecnológica… No centro levam-se a cabo alguns projectos para ajudar o seu autofinanciamento económico: aves domésticas, agricultura e suinicultura… Para além disso, a escola tem alguns alunos externos que geram alguma receita.

Como LMC, o nosso principal objectivo aqui, é alcançar o mais rapidamente possível a autonomia (que é um sério objectivo), e atender os milhares de crianças abandonadas que estão ao nosso encargo.

por Justin Nougnui, Coordenador LMC

[Gana] Notícias breves…

IMFH

No passado dia 23 de Novembro de 2013, tivemos o nosso oitavo encontro em Abor (Gana), no centro “A casa do meu Pai” (IMFH – In my Father’s house), instituição fundada pelo sacerdote comboniano P. Joseph Rabbiosi.

Este centro é o espaço que foi escolhido pela província como centro para os LMC, onde em 2012 esteve um LMC dos Estados Unidos. O centro IMFH é uma instituição que se ocupa das crianças mais vulneráveis e abandonadas. Vivem no centro, e ali se preparam tanto espiritualmente como intelectualmente, para se responsabilizarem por si próprias.

Fomos sete, os leigos que mais tarde nos unimos ao projecto, graças ao P. comboniano Juan de Dios. Tudo começou quando conhecemos um grupo de jovens no centro IMFH. No centro existe um grupo de jovens que terminou a escola secundária e agora está a preparar-se para o ensino superior. Como LMC’s vimos que era nosso dever ajudar estes jovens a preparar-se para o futuro. Conforme o planeado na nossa reunião, decidimos que James Abotsi e Christian Wotormenyo conduziriam os encontros com estes jovens. Assim, começamos por prepará-los para a importância de escolher os requisitos prévios, para realizarem opções sobre o que fazer no futuro. Somos agora responsáveis por um bloco especial na formação destes jovens.

IMFH IMFH
IMFH IMFH

Quando termina o encontro com os jovens, continuamos com a nossa reunião LMC, na sala do 2º piso do edifício da administração do centro IMFH. Nessa reunião tentamos acabar o nosso directório, que aprovaremos em breve.

Agora temos um lema:

“LMC: resposta = África ou morte”

“LMC: resposta = Salvar África com África”

Também tentamos que cada LMC esteja bem preparado, conhecendo a vida do fundador, a sua espiritualidade e a sua visão. Para ajudar nesta tarefa, temos uma pequena biblioteca na nossa sala e que todos os LMC podem consultar.

IMFH IMFH

Os LMC estão envolvidos na vida do centro e na tomada de decisões. Todos os leigos que trabalham na gestão do projecto IMFH são LMC’s, e um deles, é designado para representar os LMC na direcção do centro IMFH.

 

por Justin Nougnui, Coordenador