Tag Archive for Peru

Com Maria e José a caminho do Natal

LMC Peru

A verdadeira alegria nasce do amor. Só quando nos atrevemos a viver por amor permitimos que Deus nasça em nós fazendo do nosso coração o seu presépio. Só quando acreditamos no mistério de Jesus somos verdadeiramente felizes. A alegria brota de um coração que pouco a pouco se foi e se vá enamorando por Deus. Reconhecer que Deus existe é ter a certeza que jamais caminhamos sós e a alegria de saber que Ele caminha connosco e transforma diariamente as nossas vidas. O caminho não é tão simples como as palavras que dizemos é exigente. Exige esforço da nossa parte, exige que nos coloquemos a caminho, exige que saiamos de nós e como Maria e José caminhemos até à Galileia dos nossos corações em busca do melhor lugar para renascer junto com Jesus. Pois Jesus está vivo e vem até nós.

Tal como Maria temos muitos medos, inquietudes e receios mas inspirando-nos no seu exemplo, dizemos o nosso sim em cada dia. Maria ao aceitar ser mãe renunciou a tudo o que tinha planeado para cumprir a vontade de Deus para si. Apesar de não estar nos planos de Maria ser a escolhida de Deus para ser mãe de Jesus, ela aceitou. Como Maria entregamos a nossa vida nas mãos de Deus.

São José inspira-nos a acolher o projeto que Deus tem para nós apesar das dificuldades e desafios. Para São José não foi fácil compreender que Maria estava grávida do filho de Deus. Até pensou em deixá-la secretamente mas quando o anjo lhe falou ele entregou-se completamente.

A família de Nazaré ensina-nos a viver em comunidade. Maria e José, como comunidade, souberam viver a encarnação de Deus nas suas vidas. Não é fácil seguir a vontade de Deus em comunidade mas Eles compreenderam que quando Deus nos chama tocando o nosso coração, a nossa vida nunca mais vai ser a mesma. O nosso sim abre portas a muitas outras maravilhas não só nas nossas vidas mas também nas vidas das outras pessoas. Eles encontravam na oração a coragem que necessitavam para levar a missão de forma alegre e confiante. Nos momentos de oração abrimos as portas do nosso coração e de nossa casa para que Deus venha e diariamente nos diga qual é o caminho a seguir. A oração é a base da comunidade é através dela que consagramos todas as nossas vidas ao Senhor.

Vivamos este natal, lembremo-nos que tal como diz José Tolentino Mendonça “o presépio somos nós, é dentro de nós que Jesus nasce” preparemos o nosso coração e as nossas vidas para ser a casa onde Jesus se prepara para renascer.

Paula eNeuza, LMC em Peru.

Estar aqui. Com eles e entre eles!

Arequipa

Estamos num dos lugares mais bonitos do mundo. Apenas deveremos acrescentar que neste lugar, algures, perdido entre os vulcões Chachani e Misti, vive um povo, um povo humilde no qual fazemos morada agora.

Ao longo da nossa ainda precoce caminhada, são já muitos os rostos que ficaram cravados em nós. Talvez porque a desumanidade se faz presente de uma forma tão evidente que em última das hipóteses leva à morte. São já muitas as histórias de violência que nos foram contadas não apenas através de palavras, mas através do testemunho vivo de quem diariamente luta pela esperança da mudança. Ou não seja este país, Peru, o país onde os níveis de machismo são dos mais elevados de mundo. Neste testemunho de Manu Tessinari, podemos conhecer de uma forma mais profunda esta realidade:

“Peru é um país machista. Muito machista.

No Peru, uma adolescente pode ser espancada pelo pai se flagrada tendo sexo com o namorado. Aqui, a mulher que está em cárcere não tem direito a visitas conjugais. No sistema público de saúde, é proibido a entrega gratuita da pílula do dia seguinte para pacientes vítimas de estupro.

Algo mais absurdo? No Peru, se a mulher é largada pelo marido e não se divorciam, o homem pode refazer a vida e registrar todos os filhos da nova companheira. A mulher não. A lei indica que o filho desta mulher é legalmente do ex-marido (protegido pelo vinculo do matrimonio) e para que o pai biológico consiga registá-lo, é necessário um longo e complexo processo legal.

De 10 mulheres peruanas, 6 são vítimas de violência psicológica e 2 são vítimas de violência física por parte de seu companheiro. 16% das pessoas (homens e mulheres) acham que a culpa é da própria mulher, sendo que 3,7% acham que elas MERECEM ser golpeadas e 3,8% NÃO vêm problemas no homem forçar relações com suas parceiras.

As peruanas são trabalhadoras. Segundo o INEI (Instituto Nacional de Estatísticas e Informação), 95,4% das peruanas trabalham, a maioria em serviços. Em média, uma peruana ganha UM TERÇO A MENOS do que um peruano ganho, fazendo o mesmo serviço. Infelizmente, somente 36% das mulheres conseguem terminar a escola e pouco mais de 16% conseguem concluir uma faculdade. Isto num país onde as mulheres são 15.800.000, ou seja, 49,9% da população”.

As vidas de quem nos passa pela porta, não nos ficam indiferentes, e ainda que a realidade seja esta, levamos-lhe a alegria de um Evangelho que não é apenas nosso, um Evangelho que necessita ardentemente de ser levado ao mundo, levado aos confins da periferia.

Não tenhais medo de sair e ir ao encontro destas pessoas, de tais situações. Não vos deixeis bloquear por preconceitos, por hábitos, por inflexibilidades mentais ou pastorais, pelo famoso «sempre fizemos assim!». Mas só podemos ir às periferias, se tivermos a Palavra de Deus no nosso coração e se caminharmos com a Igreja, como fez são Francisco. Caso contrário, estamos a anunciar a nós mesmos, e não a Palavra de Deus, e isto não é bom, não beneficia ninguém! Não somos nós que salvamos o mundo: é precisamente o Senhor que o salva!

Papa Francisco

É aqui que nos sentimos chamadas a habitar entre eles e com eles. É aqui que deixamos de ser nós para ser, instrumentos vivos ao serviço de Jesus Cristo no Peru.

ArequipaComunidade Ayllu,

Neuza y Paula, LMC em Peru

A missão do outro lado do atlântico

LMC PeruTer fé é assinar uma folha em branco e deixar que Deus nela escreva o que quiser (Santo Agostinho).

Assim também a missão é deixarmo-nos guiar pelo espírito santo que nos acompanha e espera.

Chegamos a este caminho com tudo o que somos e assim também partimos. Trouxemos no coração todos os que amamos e nos completam, fizeram-nos chegar até aqui e acompanhar-nos-ão a vida toda, assim dita o amor. Saímos ao amanhecer e também num amanhecer chegámos ao Peru. Conscientes da longevidade da viagem fortalecemo-nos nos abraços que apertados se deram neste longo até já. Chegámos à terra à qual chamaremos casa nos anos que se aproximam.

À porta do aeroporto já nos esperavam, nos sorrisos e na alegria de finalmente nos receberem. Partilhámos o nosso nome e o nosso carisma.

À saída, fomos recebidas pela chuva miudinha que se fazia sentir, e neste turbilhão de sensações percorremos pela primeira vez solo peruano.

LMC PeruO período é de puro conhecimento, despojadas de nós damos os primeiros passos junto deste povo que nos acolheu de forma tão amável. Somos nós do outro lado do atlântico vivendo a missão bem ao estilo S. Daniel Comboni.

Conhecer os Leigos Missionários Combonianos foi conhecer a nossa família LMC Peruana. Cada um deles partilhou connosco um pouco de si e do seu testemunho de vida e de fé. Pudémos conhecer também os postulantes com quem convivemos e partilhámos bons momentos. Entre conversas, bebidas, comidas e gargalhadas recebemos um pouco deles e demos um pouco de nós, alegres, na certeza de saber que todas estas vidas convergem para Deus.

Certas de que foi e é Deus quem nos chama a esta missão. Caminhamos juntas certas que chegaremos aonde nos esperam.

LMC PeruNeuza and Paula, LMC Peru

Ayllu comunidade LMC em Arequipa Peru

Chegar à missão é chegar a casa. Não a que nos viu crescer, outra que agora nos acolhe, onde agora dormimos, crescemos e amamos. Chegar à missão é chegar ao povo. Não o que nos viu nascer, outro que nos recebe de braços abertos como se fossemos filhas que tornaram a casa. Chegar à missão é abraçar outro povo. Não aquele que nos viu nascer mas aquele que de braços abertos se predispõe a crescer connosco. Cada pessoa é mundo e tem mundo para nos contar. Em cada pessoa encontramos Deus e é esse Deus e esse mundo que hoje pretendemos mostrar-vos. É nesta paisagem que todos os dias acordamos na confiança e adormecemos no agradecimento. Nesta missão que não é só nossa mas de todos, queremos que percorram cada dia e cada história connosco.

Paula e Neuza. LMC em Peru

Quarto dia da Assembleia Continental LMC da América

LMC America

Iniciámos a nossa manhã com a eucaristia, invocando São Daniel Comboni, para que, como LMC, consigamos viver e seguir o seu estilo de vida.

 

Começámos os trabalhos com alguns testemunhos missionários LMC. Carol e Minerva partilharam o trabalho que fazem em Mistecos, no México, descreveram as dificuldade, obstáculos limitações e frutos que ambas experimentaram e receberam. O seu trabalho na vila de Mistecos é acompanhá-los e estarem presentes no seu dia-a-dia. Ambas vivem e partilham as suas vidas com este povo, respeitando a sua cultura, trabalhando juntos sem excluir os valores culturais, religião e a forma como fazem as coisas.

Depois, tivemos formação em pastoral Indígena dirigida pelo professor Juan Manuel García. Fizemos trabalhos de grupo, refletindo e dialogando sobre o trabalho desta pastoral no méxico. Vários grupos concordaram com alguns pontos, tais como obstáculos, limitações e a noção da importância deste tipo de trabalho. O foco é que “O coração de Deus abre-se a quem o quer conhecer.” Estivemos toda a manhã com este professor que nos orientou relativamente à pastoral indígena, desafios e aprendizagem. Tivemos um diálogo muito enriquecedor que nos ajudou a conhecer melhor esta pastoral.

Na parte da tarde estiveram connosco dois psicólogos que nos passaram informações e conhecimentos sobre como comunicar mais eficazmente entre nós (LMC). Na formação foram utilizadas dinâmicas que enriqueceram a explicação, tal como a união e como utilizar a comunicação de forma mais eficaz, através de determinadas estratégias e métodos.

LMC AmericaFinalizámos as atividades com a exposição e adoração do Santíssimo Sacramento.

 (Valentín e Yessenia)  

 

Terceiro dia da Assembleia Continental LMC da América

LMC

A oração da manhã marcou o início do dia com uma colorida dinâmica que nos ajudou a começar o dia com muito otimismo. Os trabalhos deste dia foram realizados em 5 grupos para contextualizar e sintetizar os diferentes pontos acordados previamente.

Na segunda parte da manha emprenhamo-nos para aprendermos a usar e a gerir adequadamente o nosso site: www.lmcomboni.org. O coordenador do comité Central, Alberto de la Portilha, explicou-nos como aceder ao site e a suas grandes vantagens e possibilidades que nos oferece nos diferentes campos, possuindo um conteúdo muito útil. Motivou-nos a utilizar este meio como facilitador dos trabalhos no geral, na formação e na comunicação. Esta página é um valioso instrumento para comunicarmos e aceder aos conteúdos que nos possam interessar, o nos mantermos atualizados relativamente à missão LMC e Comboniana.

LMCNa tarde deste dia realizámos a tão esperada visita ao Santuário da Virgem de Guadalupe. Como grupo LMC fizemos uma peregrinação ao santuário mariano, emblema do povo mexicano. A Eucaristia foi muito emocionante e muito participada por todos nós. Foi presidida pelo Provincial do México e concelebrada pelos quatro sacerdotes Combonianos a participar no encontro. Esta visita a Guadalupe foi uma injeção de espiritualidade missionaria a todo o grupo LMC.

Por fim, visitámos as Irmãs Combonianas na sua casa provincial. Com elas festejámos com muita alegria a eleição, no Capitulo em Roma, da sua nova Superior Geral.

LMC

(Valentín y Yessenia)