Leigos Missionários Combonianos

Últimas notícias de Maria Augusta da Missão de R.C.A.

Centroafrica

A Leiga Missionária Comboniana Maria Augusta Pires, de Janeiro de Baixo, que está em missão na República Centro-Africana (na Missão de Mongoumba), aproveitou mais uma vinda à capital (Bangui) para enviar notícias. Rezemos pela paz naquele país e por todos os missionários! Eis o texto enviado por ela [para o jornal da sua paróquia, O Astrolábio]  no passado dia 25 de Maio:

Eu e todos os membros da comunidade apostólica estamos de boa saúde, graças a Deus.

Estamos em Bangui para fazer compras… a Ana tinha a viagem marcada para o dia 18, mas, como a adiou para o dia 8 de Junho, tivémos que vir na mesma, porque nos faltavam medicamentos e muitas outras coisas necessárias no dia-a-dia, e também já tínhamos a despensa quase vazia.

No dia 12 de Junho voltam o Gervelais e o pai, de Dakar. Damos graças ao Senhor porque correu bem a operação. Espero que ele esteja contente e de boa saúde.

No dia 11 de Maio, foi morto, espancado, um enfermeiro do hospital acusado de “likundu” (feitiçaria). Ficámos todos muito tristes com este acontecimento. Esperamos que seja feita justiça e que os que lhe causaram a morte sejam bem castigados, a começar pelas autoridades que lhe recusaram protecção… Pedimos ao Senhor que nos ajude a defender as pessoas apontadas de tal maldição. Já houve vários casos de pessoas acusadas e que foram protegidas pela Missão e por alguns cristãos corajosos. Que o Senhor da vida faça que tal nunca mais aconteça com ninguém e que todos os cristãos tenham a força de denunciar tais violências.

No dia 1 de Maio, em Bangui, na paróquia de Nossa Senhora de Fátima, durante a Eucaristia, foram mortas 16 pessoas e 100 ficaram feridas pelos rebeldes. Acabaram por falecer 22 pessoas, entre elas, um dos padres que estava a concelebrar. Os habitantes deste bairro continuam com muito receio de serem atacados de novo. Rezem muito por este nosso povo, que já está cansado de sofrer…

Eu, se Deus quiser, não voltarei a Bangui antes da partida para Portugal, pois, no mês de Junho, estarei muito ocupada com as avaliações dos alunos e os trabalhos do final de ano. No dia 4 de Julho, parto de Centro África e chego a Lisboa no dia 5, à tarde. É como no ano passado. Voltarei à Missão, se Deus assim o quiser, no início de Setembro. A Cristina está animada, continua a estudar o sango [língua local].

Estamos sempre unidos pela oração, isso dá-nos muita força e coragem. Um grande abraço Missionário, do tamanho do mundo, para o Padre João e Padre Orlando e todos os féis a vós confiados. Até breve!

Com muita amizade

Maria Augusta

 in o Astrolábio

ANO V – Nº 121 – 3 de Junho de 2018

Paróquias de Cabril, Dornelas do Zêzere, Fajão, Janeiro de Baixo, Machio, Pampilhosa da Serra, Portela do Fôjo, Unhais-o-Velho e Vidual

O coração de Jesus – Missão pela compaixão

Corazon de Jesus ComboniCompadecido, Jesus estendeu a mão, tocou-o e disse: «quero, fica purificado!» (Mc 1,41)

Este simples gesto de Jesus é cheio de significado e exprime com força a sua atitude para com os marginalizados. É também um acto de rebelião contra a injustiça baseada sobre um sistema socio-religioso de exclusão. É assim que o Pai se revela a nós (Col 1, 5), num Filho que, percorrendo os caminhos da Palestina, ousa tocar um leproso para o curar. Marcos, já no primeiro capítulo, revela-nos como seja capaz de amar Cristo, com um coração que extravasa de compaixão, o rosto de Deus visível que o enviou (Mc 1,1).

A devoção ao Coração de Jesus é, desde as origens do nosso Instituto, uma fonte de espiritualidade onde a nossa missão é firmemente radicada. Nela entramos na intimidade da pessoa de Jesus, nas suas atitudes, nos seus desejos e na visão do mundo novo que as Bem-aventuranças anunciam. Assim, a sua contemplação revela-nos o núcleo da nossa vida consagrada: a centralidade do amor de Deus como chave de leitura da História da Salvação. Um amor que incarna e se define como paixão total pela humanidade (DC 2015, n. 22). Para aprofundar este mistério a oração pessoal é um espaço qualificado porque é um encontro íntimo com Jesus em humildade. Torna-se assim uma experiência de perdão, de acolhimento e de gratuidade, que nos transforma e nos modela segundo o seu Coração.

O Coração do Bom Pastor chama-nos ao dom constante de nós mesmos, com tudo aquilo que somos. A missão é a de se oferecer sem esperar nada em troca, de esvaziar a própria vida em favor dos outros. Esta é a nossa consagração: fazer da nossa vida um instrumento da misericórdia do Pai incarnado no carisma dado a Comboni. A nossa história, com todos os seus limites e as suas incoerências, deixa-nos testemunhos indeléveis de confrades que gastaram a sua vida até ao fim por causa do Evangelho. Homens que se deixaram modelar num ciclo de conversão permanente através da experiência de relação com o amor do Pai, tornar-se pão para os famintos e esperança para os desanimados (DC 2015, n. 14).

Marcos fala-nos da vida de um homem que tem como característica principal a compaixão, porque este é o rosto que o Pai quis mostrar-nos. A sua atenção aos mais pobres torna-se assim um elemento constitutivo da missão da Igreja. Um aspecto claramente presente em Comboni (E 2647). A contemplação do Coração de Jesus impele-nos a uma particular proximidade aos excluídos e chama-nos a procurá-los em novos âmbitos, onde a vida é posta de parte. Ao mesmo tempo, o nosso estilo de vida, que pode ser um obstáculo ao dinamismo e à flexibilidade da missão hoje, é posto em discussão. Toda a nossa actividade e reflexão devem partir de baixo, em contacto com a humanidade pregada na cruz. Esta é a expressão mais radical da total doação do Filho e está ainda hoje muito presente em alguns países em que operamos que sofrem a guerra ou outras formas de violência. A nossa presença missionária é sinal do amor que brota do Coração de Jesus (RV 3.3).

Comboni, homem marcado pela experiência religiosa do seu tempo, desenvolveu uma própria dimensão missionária da espiritualidade do Coração de Jesus. O dom total do Pai no Filho é um sinal do amor que nos abre a uma nova esperança. O Reino é um programa de libertação da vida em plenitude (E 3323). Esta profunda convicção levou-o a percorrer milhares de quilómetros através do Nilo e do deserto, pondo em perigo a sua vida porque o Cristo transpassado é também fonte de vida para os mais afastados. A audácia do nosso Fundador em abrir novas fronteiras à evangelização faz parte da nossa espiritualidade e missão. A revisitação da Regra de Vida é também uma oportunidade para crescer na paixão pelo Evangelho à procura dos esquecidos.

Os desafios do mundo de hoje tornam urgente a nossa missão. Vivemos em tempos cheios de expectativas e desejos de novas estruturas políticas, económicas ou sociais. Há uma procura profunda e sincera de sentido, mas que facilmente cai em respostas efémeras que conduzem só à alienação ou ao niilismo. A loucura do Evangelho (1Cor 1, 25) transforma o coração e o mundo; o nosso Instituto continua a ser chamado a caminhar, com a compaixão de Jesus, a tocar os leprosos de hoje.

Que a festa do Sagrado Coração de Jesus nos dê a graça de continuar a crescer no amor.

O Conselho Geral, mccj

 

Notícias da LMC Maria Augusta vindas da RCA

LMC RCAFaço votos para que todos os leigos e leigas se encontrem bem e que tudo esteja a correr na normalidade. Nós, comunidade Apostólica, estamos bem, graças a Deus.

Cá estamos de novo em Bangui, desta vez para trazer um rapazinho que tem um problema na coluna, devido a uma tuberculose óssea, chamada “Mal de Pott”, a fim de ser operado em Dakar, pelo Dr. Omnimus, o médico francês  ortopedista, que costuma vir operar  a Mongoumba. Partirá, acompanhado pelo seu pai, no dia 12, amanhã. Iremos acompanhá-los ao avião pelas 5 da manhã. Damos muitas graças ao Senhor por estarmos aqui a acompanhar o Gervelais e o pai.

Esta foi uma viagem com muitas incertezas. Tínhamos programado viajar na quinta-feira a fim de podermos fazer as compras e depois voltarmos para Mongoumba no dia 13, mas o batelão avariou na terça-feira e só recomeçou a trabalhar na sexta à tarde. Chegámos a pensar que seria necessário vir algum missionário de Bangui para transportar e conduzir Gervelais e seu pai ao aeroporto. Ontem, estando no batelão, houve um momento em que tivemos dúvidas se poderíamos continuar viagem porque um camião não conseguiu sair, foi preciso ser rebocado por um camião bem carregado. Como diz o ditado “o homem propõe e Deus dispõe”. O Senhor faz tudo bem feito! É Ele que sabe o que é melhor para nós. Rezo a Maria que interceda pelo Gervelais e peço para ele orações para que possa recuperar a saúde, que possa ficar bem!

A Belvia foi operada, tiraram-lhe todo o peito. Ainda não se sabem os resultados das análises feitas a esses tecidos. Espero que não seja cancro… Ela, agora sente-se melhor, já terminou os tratamentos e agora toma alguns medicamentos. Está muito contente, estava a sofrer muito… que o Senhor a ajude.

A Ana partiu para a Polónia e, em princípio, voltará em Maio. Que o Senhor a recompense com umas boas férias.

A Cristina está bem e animada. Ela começou o sango. Já saúda toda a gente na língua local e as pessoas ficam muito contentes. Está já enamorada pela missão! Deus permita que seja até ao fim do tempo que estiver a servir a missão!

No próximo mês a nossa paróquia vai festejar o 50º aniversário da sua criação, vamos fazer uma grande festa, se Deus quiser.

Estamos sempre unidos pela oração.

Um abraço missionário de toda a comunidade, para todos vós.

LMC Maria Augusta

Notícias desde Moçambique

LMC MozambiqueQueridos amigos,

Saudações de Carapira!

É com muita alegria que partilhamos um registo do nosso encontro. Depois de alguns impasses reunimos para programar algumas atividades para o grupo.

Foi um encontro frutífero e que muito nos animou para continuarmos a seguir fielmente o Senhor da Messe. O Amor é mais forte e continua a vencer! Graças a Deus!

Um abraço amigo,

De todos nós!!

LMC Moçambique

Notícias da LMC Cristina Sousa vindas da RCA

RCAOlá queridos amigos!

Espero que se encontrem todos bem.

Faz dois meses que cheguei RCA, ainda não desfiz a mala mas o meu coração está completamente rendido por Mongoumba.

As emoções aqui são de uma intensidade que nos transcendem.

Nos momentos que penso “vou embora” sinto que a minha vida ganha raiz aqui!

Não é fácil gerir o desconhecido, não é fácil aceitar o diferente, não é fácil controlar a impotência a revolta… Mas é na dificuldade que deixamos de ser cegos, surdos, mudos…

O processo de adptação tem sido “yeke, yeke“* (como se diz em sango), faço desta expressão “palavra de ordem” no meu pensamento.

Num só dia o meu coração bate de várias maneiras, de manhã choro, à tarde riu e à noite, talvez as duas coisas.

Já comecei as aulas de sango. O Simone diz que o prof. monsieur Dominique já começou a falar muito bem o português. Apesar de tudo isto, tenho um segredo a revelar: estou completamente apaixonada por cinco pequenos pigmeus – Paul, Dimanche, Albert, Pauline e François. Ao virem para a escola tomam o pequeno-almoço e almoçam em nossa casa. São o meu balão de oxigénio, onde respiro e alimento o meu corpo e alma. Brincamos, rezamos e conversamos (É verdade! Conversamos.). Já me perguntaram como nós comunicamos! Gosto muito quando passo a ser objeto de estudo. Sou investigada ao pormenor: mãos, veias, marca do elástico no braço, fazem autênticas reuniões à volta da minha cabeça e o meu cabelo é assunto de muita discussão. Pauline neste último dia descobriu um buraco na minha barriga – o meu umbigo. Tem sido grande tema de conversa! (hehehe)

Como não me apaixonar??!!

Assim termino, desejando a todos uma boa Páscoa.

Que a Quaresma seja um momento de grande reflexão e conversão, mas principalmente de acção “humanitária” e que esta acção seja o reflexo das nossas orações.

Beijinhos de todos nós na RCA.

Que Jesus nos proteja e Ilumine a todos, em particular aos meninos da RCA que são os verdadeiros diamantes de África.

RCA

LMC Cristina Sousa

* yeke, yeke – “devagar, devagarinho”