Somos muitos passos num só olhar

LMC PeruSão muitas as vezes em que deixamos a nossa casa e nos aventuramos pelos caminhos rugosos e montes de Villa Ecológica. Tantas são as vezes que nesses caminhos encontramos histórias de vida que se compartem na simplicidade da soleira da porta. É na rua que mais gostamos de passar o nosso tempo. Na simplicidade de cada campo conhecemo-nos e partilhamos os valores de uma vida. Cada rosto que chega até nós fala-nos de uma cultura, fala-nos de um povo pelo qual estamos cada vez mais enamoradas. A visita significa muitas vezes a esperança e a alegria do saber que não estamos sós. Deixam-nos muitas vezes entrar nas suas casas e partilham connosco o pão de cada dia. É através de todas as pessoas com quem nos cruzamos todos os dias que sentimos o chamamento à missão.

LMC PeruMissão é um caminhar juntos, é aceitarmo-nos com tudo o que somos e trazemos dentro de um peito carregado de experiências de vida. Percorreremos juntos, muitas vezes em silêncio, o caminho da libertação. Somos todos os dias sinais de uma Páscoa que se constrói a cada dia.

Crescemos de mãos dadas no Amor d’Aquele que nos chama a ser mais. Crescemos juntos certos de que nunca estamos sós. É aqui que somos chamadas a estar. Junto dos mais pobres. Junto do milagre da vida. E, tal como diz a canção “É Cristo quem te chama, aproxima-se mais a ti. Sorrindo Ele diz-te, vem a Mim. Fecha os olhos já e deixa-te levar. Sim, ele te escolheu a ti e tu deves dizer: “Sim, Senhor. Estou aqui. Estás em mim.”

Como é bom ser vida junto com todas estas famílias que se juntam a nós para viver a plenitude do Projeto Ayllu. É com a ajuda de muitos e também de todos vós que conseguimos ser diferença nesta terra que agora chamamos casa. Somos com eles. Partilhamos das suas lutas e celebramos juntos as suas vitórias. Vivemos juntos estes momentos de grande alegria.

LMC PeruComunidade Ayllu,

Neuza e Paula, LMC

 

Notícias da LMC Maria Augusta vindas da RCA

LMC RCAFaço votos para que todos os leigos e leigas se encontrem bem e que tudo esteja a correr na normalidade. Nós, comunidade Apostólica, estamos bem, graças a Deus.

Cá estamos de novo em Bangui, desta vez para trazer um rapazinho que tem um problema na coluna, devido a uma tuberculose óssea, chamada “Mal de Pott”, a fim de ser operado em Dakar, pelo Dr. Omnimus, o médico francês  ortopedista, que costuma vir operar  a Mongoumba. Partirá, acompanhado pelo seu pai, no dia 12, amanhã. Iremos acompanhá-los ao avião pelas 5 da manhã. Damos muitas graças ao Senhor por estarmos aqui a acompanhar o Gervelais e o pai.

Esta foi uma viagem com muitas incertezas. Tínhamos programado viajar na quinta-feira a fim de podermos fazer as compras e depois voltarmos para Mongoumba no dia 13, mas o batelão avariou na terça-feira e só recomeçou a trabalhar na sexta à tarde. Chegámos a pensar que seria necessário vir algum missionário de Bangui para transportar e conduzir Gervelais e seu pai ao aeroporto. Ontem, estando no batelão, houve um momento em que tivemos dúvidas se poderíamos continuar viagem porque um camião não conseguiu sair, foi preciso ser rebocado por um camião bem carregado. Como diz o ditado “o homem propõe e Deus dispõe”. O Senhor faz tudo bem feito! É Ele que sabe o que é melhor para nós. Rezo a Maria que interceda pelo Gervelais e peço para ele orações para que possa recuperar a saúde, que possa ficar bem!

A Belvia foi operada, tiraram-lhe todo o peito. Ainda não se sabem os resultados das análises feitas a esses tecidos. Espero que não seja cancro… Ela, agora sente-se melhor, já terminou os tratamentos e agora toma alguns medicamentos. Está muito contente, estava a sofrer muito… que o Senhor a ajude.

A Ana partiu para a Polónia e, em princípio, voltará em Maio. Que o Senhor a recompense com umas boas férias.

A Cristina está bem e animada. Ela começou o sango. Já saúda toda a gente na língua local e as pessoas ficam muito contentes. Está já enamorada pela missão! Deus permita que seja até ao fim do tempo que estiver a servir a missão!

No próximo mês a nossa paróquia vai festejar o 50º aniversário da sua criação, vamos fazer uma grande festa, se Deus quiser.

Estamos sempre unidos pela oração.

Um abraço missionário de toda a comunidade, para todos vós.

LMC Maria Augusta

Notícias desde Moçambique

LMC MozambiqueQueridos amigos,

Saudações de Carapira!

É com muita alegria que partilhamos um registo do nosso encontro. Depois de alguns impasses reunimos para programar algumas atividades para o grupo.

Foi um encontro frutífero e que muito nos animou para continuarmos a seguir fielmente o Senhor da Messe. O Amor é mais forte e continua a vencer! Graças a Deus!

Um abraço amigo,

De todos nós!!

LMC Moçambique

Fórum Social Mundial e Fórum Comboniano

Mensagem final dos membros da Família Comboniana
Participantes no Fórum Social Mundial e no Fórum Comboniano

RESISTIR É CRIAR – RESISTIR É TRANSFORMAR

Ministerialidade e trabalho em rede/colaboração
na Família Comboniana e com as outras organizações

Salvador da Bahia, 10-19 de Março de 2018

FSM y FCNós leigos, irmãs, irmãos e padres missionários combonianos, que participámos no Fórum Social Mundial (FSM) e no Fórum Comboniano (FC), saudamos-vos a partir de Salvador, terra de resistência negra e de culturas afrodescendentes, com um coração cheio de gratidão e de esperança. De 10 a 19 de Março de 2018 vivemos juntos uma experiência forte e única ao participar no FSM, que tinha como tema “Resistir é criar – resistir é transformar” e no VIII FC com o tema “Ministerialidade e trabalho em rede/colaboração na Família Comboniana e com as outras organizações”. Agradecemos de modo particular aos nossos conselhos gerais que juntos nos escreveram uma mensagem de encorajamento pelo empenho na JPIC e pela nossa participação no FSM como experiência do vivido do nosso carisma nos desafios do mundo de hoje.

A nossa participação foi relevante e numerosa: 53 pessoas provenientes da África, Europa e América. Experimentámos a grande riqueza do nosso carisma na variedade dos nossos empenhos. Pela primeira vez participaram também representantes dos jovens em formação no escolasticado e no CIF com um seu formador. Agradecemos também pelas respostas recebidas de quatro escolásticos ao questionário que o comité central tinha enviado com o objectivo de compreender até que ponto é que os temas da JPIC estão presentes na formação. Reafirmamos o empenho de envolver sempre mais as pessoas em formação e os formadores sobre os temas da JPIC e nas dinâmicas do FSM e do FC.

No FSM apresentámos como Comboni Network quatro workshops: Land grabbing, Extracção minerária, Situação sócio-política da RD. do Congo e do Sudão do Sul, Superação da violência e discriminação de género. Isto permitiu-nos partilhar na metodologia do FSM o nosso empenho como missionários e missionárias por um outro mundo possível. Um stand, preparado por nós, permitiu-nos fazer animação missionária, encontrar e dialogar com muitas pessoas e darmo-nos a conhecer. Entre os numerosos workshops propostos pelo FSM, acompanhámos com interesse Os novos paradigmas, Teologia e libertação, Jovens, Resistência dos povos originários e afrodescendentes, e Migrações. Durante o desenvolvimento do Fórum, participámos também na assembleia mundial das mulheres. O FSM realizou-se em clima de festa, interrompido pela morte de dois activistas dos direitos humanos: Marielle Franco, no Rio de Janeiro, e Sérgio Paulo Almeida do Nascimento, em Barcarena, estado do Pará.

O Fórum Comboniano realizou-se no signo da continuidade com os encontros precedentes. As jornadas foram intercaladas por momentos inculturados de espiritualidade, durante os quais celebrámos a vida, os sofrimentos e as esperanças, em sintonia com as realidades dos Países de proveniência e com aquelas encontradas no Fórum. Interrogámo-nos sobre a necessidade de aprofundar a reflexão acerca dos novos paradigmas da missão, de consolidar esta experiência como família comboniana e de poder dar maior espaço de participação aos leigos e às leigas. Nesta reflexão fomos acompanhados e animados por Marcelo Barros, que partilhou o estado actual da teologia e libertação, e Moema Miranda, que, depois de uma análise da realidade mundial, indicou algumas luzes para o caminho propostas pela Laudato Si’. Perante um neoliberalismo sem limites, o convite lançado foi no sentido de pôr em diálogo os pobres e de consolidar a fé na presença do Espírito de Deus que caminha connosco na história.

Interpelados por aquilo que vivemos, propomos.

Publicar um livro que reúna a história e as esperanças destes onze anos de Fórum Comboniano, indicando caminhos para o futuro.

Ampliar a coordenação do Comboni Network para um melhor serviço de sensibilização e formação sobre os temas da JPIC.

Realizar um Fórum Social Comboniano continental para pôr em confronto as diversas realidades nas quais estamos empenhados.

Criar um fundo económico para sustentar as actividades ligadas ao empenho da JPIC.

Consolidar uma plataforma on-line onde recolher e partilhar experiências e material sobre os temas da JPIC.

Depois desta experiência, sentimos ainda mais consistente a importância de nos reencontrarmos para uma maior colaboração entre nós, para nos confrontarmos como Família Comboniana e como pessoas empenhadas em âmbitos diversos mas unidos no empenho da JPIC para procurar novos caminhos de ministerialidade e novos paradigmas da missão.

Salvador da Bahia, 19 de Março de 2018
Festa de São José, Operário

Privacy Preference Center

Close your account?

Your account will be closed and all data will be permanently deleted and cannot be recovered. Are you sure?